22.3.17

Faço 8, sim e é de propósito*.

E bom, aqui vão 8 anos a pôr livros nesta prateleira.
Os meus miúdos estão crescidos e tornaram-se, estão a tornar-se, grandes leitores:
que bom poder agora escolher e mandar livros para outros meninos, que não são os desta casa. Que bom é imaginar outras histórias, outras ruas, outras prateleiras a ficarem cheias de tantas possibilidades, que vão sempre entre as páginas dos livros bons.
O PACOTE está aí, espalhem a notícia, não o deixem fugir!  
Este blog nasceu dum acaso e duma paixão e vai crescendo debaixo dessas duas águas dum mesmo telhado.
Há uns anos tinha visto as páginas deste livro numa exposição da Maria Keil. Ontem encontrei-o num corredor duma livraria e soube que era este o livro para assinalar a data. É o acaso iii.
Afinal, há 8 anos atrás, numa outra livraria não muito longe dali, deram-me as páginas abertas dum livro — que continuam por emoldurar — e, nesse mesmo dia, começou o prateleira-de-baixo. Já houve outro acaso, chamemos-lhe assim, de maneira que não havia mesmo como fugir a estas histórias.
O livro é datado, claro, politicamente incorreto, com certeza. Mas, ainda assim, duma modernidade avassaladora; quer no texto — que corre ao ritmo que quer, com histórias curtas ou histórias longas, histórias realistas ou do reino do fantástico, sobre a vida, sempre; quer na imagem — com pequenas vinhetas ou desenhos de página inteira, realismo ou geometria, com risco, sempre.
No nosso terraço costumam nascer uns jacintos que lá ficam por baixo da terra todo o ano e que me surpreendem sempre por esta altura.
A mesa do dia do Pai estava linda, enfeitada com uma flor amarelinha que também ali nasceu a fazer história, sem ninguém fazer nada por isso.
É que às plantas não chego, não dá para tudo. Tal como busco especialistas de flores ou do mundo, ou da música, ou dos fios, ou de desenho, espero que possam continuar a vir buscar a esta prateleira os livros extraordinários que teimam em aparecer. E, quem sabe, poderem também vir a receber ou a oferecer um PACOTE feito mesmo à medida da prateleira-de-baixo aí de casa.
*O título deste post é roubado a uma das frases que acompanham os autorretratos que Maria Keil fez aos 80 anos: "Faço 80, sim e é de propósito" que acompanha um retrato sorridente, e "Faço 80, sim mas não é de propósito" em que olha de lado, preocupada. Escolhi o sorridente, claro.
&
Hoje, para se qualificarem para o sorteio, basta tornarem-se seguidores (do blog ou do Instagram) ou gostarem (do FB), e partilharem uma das publicações com um amigo (no Instagram ou no FB).
Até às 22h, do dia 22, hora de Lisboa. Os vencedores serão anunciados no Instagram e no FB do site.
Boa sorte!
.........................................................................................
Histórias da minha rua,
texto Maria Cecília Correia, ilustrações Maria Keil
A Bela e o Monstro Edições/Raposódia Final, 2016 (1ª edição 1953, na Portugália)
s/isbn

Sem comentários :

Enviar um comentário

Designed by DigitalBeautiful