14.3.19

Mestre do politicamente incorreto

Maurice Sendak não é um caso fácil. O Onde vivem os monstros é dos livros mais conhecidos por esse mundo da literatura infantil contemporânea, mas dêem lá as voltas por onde derem, não é um livro fácil.

A birra é uma coisa difícil de gerir em qualquer idade, porque por mais que tentemos travá-la a partir do exterior, a coisa tem de se resolver no interior da criança — ou do bebé, ou do adolescente, ou do adulto, já agora. A ajuda exterior é importante, às vezes necessária, claro, mas o certo é que a maioria das vezes, a intervenção só adensa o problema, se não for no tempo certo. O tempo certo normalmente é a chave. De tanta coisa.

Dei de caras com uma história engraçada no NYT e pus as mãos na massa: afinal tenho dois adolescentes em casa e uns oitocentos e tal na escola. Vai ser útil, de certeza. Uma amiga passou-me uma versão mais a meu gosto que o pote de purpurinas e, com o R, fiz o nosso "Frasco da Fúria".

Os rapazes cá de casa arranjaram, de maneiras diferentes, mecanismos próprios para serenarem, é certo, e ainda não usei o Frasco. Mas já falei bem alto da ideia, do método e do tempo que o "Frasco da Fúria" traz dentro dele. Prefiro "Frasco da Fúria" a "Frasco da Calma": parece-me mais certeiro. E, sobre ainda não o ter usado, acredito que se falarmos de algumas coisas en passant antes delas acontecerem, há fortes hipóteses de que não cheguem a acontecer.

Nestes outros dois livros menos conhecidos da trilogia onírica do mestre Sendak, cada história é autónoma, mas ambas abordam as diferentes maneiras que temos de lidar com os sentimentos na infância e os medos que vamos processando nessa fase da vida.

O que está lá fora, de 1981, com ilustrações influenciadas pela viagem de Sendak à Alemanha, com o objetivo de estudar os contos dos irmãos Grimm, mostra uma espécie de sonho-pesadelo influenciado por duas experiências da infância de Sendak: a sua relação com a irmã mais velha e o rapto do bebé Lindbergh, que abalou a América, nos anos 30.
Na cozinha da noite, de 1970, tem as ilustrações organizadas à maneira de uma BD e mostram um menino (que até nu aparece — obviamente censurado à época da publicação) numa aventura noturna pela cidade.
É um sonho divertido que nasce também de várias experiências de Sendak enquanto menino, desde a descoberta de que a vida continua de noite, onde, por exemplo, os padeiros e pasteleiros trabalham enquanto as crianças dormem e surgem enquanto personagens que homenageiam Oliver Hardy do Bucha e Estica.

Nos três livros, a paleta de cores não difere muito; já as ilustrações, experimentam coisas muito  diferentes.
A grandeza de um ilustrador também se vê na sua capacidade de experimentar e de surpreender. É muito bom sinal poder reconhecer a autoria das ilustrações pelo estilo, mas é igualmente valioso, acho, ser totalmente surpreendido pela sua diversidade.

E foi por tudo isto — porque ninguém disse que a vida era fácil, porque as histórias ajudam à vida, porque enfrentar os medos, os sonhos e os pesadelos nos ajudam mesmo a crescer e porque o politicamente incorreto está fora de moda —, que desenhei um pacote™ especial Sendak que podem subscrever até ao final desta sexta-feira.
Não percam!
..................................................................................................................................
Onde vivem os monstros
Kalandraka, 2009 (1ª edição 1963)
Maurice Sendak
isbn 9789898205315





..................................................................................................................................
Na cozinha da noite
Kalandraka, 2014 (1ª edição 1970)
Maurice Sendak
isbn 9789897490149






 
..................................................................................................................................
O que está lá fora
Kalandraka, 2015 (1ª edição 1981)
Maurice Sendak
isbn 9789897490255

Sem comentários :

Enviar um comentário

Designed by DigitalBeautiful