18.4.18

livro-gargalhada

Adoro um bom livro-gargalhada, até porque é muitas vezes a rir que resolvemos os monstros que nos atormentam. O humor — e especialmente a auto-ironia — é uma coisa que se aprende e que ajuda a dissolver problemas muitas vezes construídos por nós próprios.

"Rir é o melhor remédio" é uma máxima bem disposta e, mais que isso, eficiente.

Andamos rodeados de janelas virtuais, por isso o livro é hoje, mais do que nunca, uma janela de carne e osso.
Através das histórias, encontramos sentido para aquilo que é difícil perceber em nós ou no mundo. E para um miúdo, isto é ainda mais verdade, porque um dedo em riste ou uma palavrosa explicação serve de pouco quando comparado com o poder de uma história.

Os medos assaltam os miúdos em várias fases do crescimento. Depois trespassam-nos também enquanto adultos, mas espera-se que aí tenhamos já ferramentas para lidar com eles.
Nas crianças os medos vão-se alterando e, por aqui têm sido muito poucos. Mas ainda assim, se muitas vezes nos surpreendem pelo seu timing, outras vezes sabemos exatamente porque apareceram.

Só quando cheguei da viagem a Madrid é que li o Colossus livro à luz desta perspetiva. Quando o comprei achei-o delicioso, simples, certeiro — e de gargalhada!

Colossus  é um livro-gargalhada. Um daqueles livro em que vamos passando as páginas suspensos à espera do desfecho. E a gargalhada é o desfecho! Gargalhadas — ou pelo menos sorrisos no cantinho da boca — foi o que tive de cada vez que li o livro a miúdos e graúdos na nossa viagem por terras de nuestros hermanos.

Colossus é um gigante, poderosíssimo, fortíssimo, indestrutível. Como os monstros, como os medos. Mas — grande lição — até os monstros, até os medos colossais, têm o seu ponto fraco, têm uma maneira de lhes darmos a volta. O livro vai enumerando e ilustrando as capacidades sobre-humanas deste ser alaranjado, sem rosto. Não tem um ar particularmente assustador, mas potencialmente os seus poderes são colossais!

A gargalhada que damos no fim dum livro, pode ser o caminho para ridicularizar um problema gigante, um medo paralisante, um monstro que não sabemos dominar.

E a verdade é que a mini-menina que adormece Colossus no final do livro, pode ser qualquer um de nós a dar cabo do que nos atormenta, apenas com um toque cirúrgico no sítio certo.

E é mesmo bom quando temos um bom livro para nos ajudar a descobrir esse toque de magia!

..........................................................................
Colossus
Tres Tigres Tristes, 2018
Raúl Nieto Guridi
isbn 9788494730450



Sem comentários :

Enviar um comentário

Designed by DigitalBeautiful