19.1.11

a-ren-que

No quarto temos um arenque fumado - estranho, estranho, estranho.
Está pendurado sobre os bonecos do star wars, dos deuses egípcios, dos robots e de outras - relíquias, relíquias, relíquias.

T, numa quarentena forçada, gosta de decorar as terminações das frases - surpreendentes, surpreendentes, surpreendentes.
Não é um livro - clássico, clássico, clássico

Mas é um objecto que se irá tornar (sem dúvida) num clássico de referência - incontornável, incontornável, incontornável.
A junção de um texto do passado com umas ilustrações do futuro - brilhante, brilhante, brilhante

Fazem desta estreia de produção própria da nossa Bruaá - corajosa, corajosa, corajosa
Uma espécie de pérola embrulhada em papel pardo - uau, uau, uau.

Vão descobri-la - lá, lará, lalá.
Uma outra colecção - engraçada, engraçada, engraçada

Seria a recolha fotográfica dos imensos arenques - fumados, fumados, fumados
Que andam agora por aí - pendurados, pendurados, pendurados.
...........................................................................................
O arenque fumado
Bruaá, 2010
texto Charles Cros, ilustração André da Loba
isbn
9789898166098
primeiro visto aqui
comprado aqui

2 comentários :

  1. Mil obrigados, Sal: obrigado, obrigado, obrigado, obrigado, obrigado, obrigado, obrigado, obrigado, obrigado, obrigado, obrigado, obrigado...
    A recolha fotográfica é uma óptima ideia, especialmente a meia dúzia de dias da data limite e ainda sem qualquer participação :-(
    Adeuzito e larau, larau larito.

    ResponderEliminar
  2. ora - essa, essa, essa! é sempre um - prazer,zer,zer.
    E quanto ao concurso, mea culpa, confesso que ainda não arranjei tempo de pôr os miúdos a dizê-lo; a triste verdade, é que sou muito mais vezes do que queria mãe ligeira de crianças vagarosas.. mas nada melhor que um poema para nos pôr no bom caminho outra vez.

    ResponderEliminar

Designed by DigitalBeautiful