5.5.10

05.05

Hoje foi o dia dos meus anos.

Para o assinalar, aqui fica o diário de uma homónima: Sara Fanelli.
Este livro tem já dez anos e, não haver nenhum livro desta estupenda ilustradora ainda editado em Portugal,

é um daqueles enigmas inexplicáveis.
Demorei muito para o mandar vir e confesso que tive para o devolver por ter tanto texto em inglês.

(Afinal, e em última análise, estes livros são para eles.)

Mas o tempo passou e, de qualquer modo, os livros da Sara Fanelli são uma

lição de ilustração.
Contou-me uma amiga, admirada, que, já por mais do que uma vez, os seu filhos reconheciam as ilustrações de um livro novo como sendo do mesmo autor de outros livros que têm (Oliver Jeffers e Gabriel Pacheco).

Não tirando nenhum mérito a piolhos de 6 e 4 anos (!) não deixa de ser normal. As crianças (principalmente as que ainda não estão treinadas na leitura) não lêem os livros como nós. O que elas lêem são as imagens, em primeiro lugar; se alguém lhes contar as palavras, melhor.

Um destes miúdos questionou um dia a Mãe sobre se o que ela estava a ler era mesmo o que estava escrito (quando a minha amiga resolveu acrescentar algumas coisas ao texto para "enriquecer" a história): "Mas Mãe, não precisa de contar essa parte porque isso já nós estamos a ver."
Tens toda a razão, X - digo eu!

E é por estas e por outras que me parece essencial que os livros que passam pelas mãos (pelos olhos) dos miúdos sejam visualmente de excelente qualidade.

Sara Fanelli cita Charles C. F. Greville no início do livro:
The habit of recording is first of all likely to generate a desire to have something of some interest to record; it will exercise the memory and sharpen the understanding generally;

Muitos dos blogues que existem hoje partem desta ideia, parece-me, e também da ideia contrária, a de que, se há qualquer coisa de interessante, então que se registe.
Nunca tive um diário, em miúda;

só já graúda fiz isto e agora isto.
Também este blogue existe por estas duas razões opostas e não contraditórias.
and though the thougths may not be very profound, nor the narrative of exceeding interest, still the execise is, I think, calculates to make the writer wiser and perhaps better.
Esperemos que sim.
Disse-me hoje o meu sobrinho mais velho: "Hoje devíamos desejar Feliz Ano Novo às Tia S! É o primeiro dia do seu ano."
Viva o Ano Novo!
........................................................................
Dear Diary
Walker Books, 2000
Sara Fanelli
isbn 9780744567564
comprado aqui


-----------------------------------------------------------------
E por falar na importância das imagens, uma nota para anunciar estas conferências:

7 comentários :

  1. Muitos parabéns, Sal! Que o "seu novo ano" (muito boa, esta: o meu só começa no fim do ano) lhe traga mais livros destes. Eu adoro a Sara Fanelli e em particular o My Map Book, que contém em si uma ideia simplesmente genial. Se ainda não tem então encomende-o já. O meu filho de 6 e eu copiamos este livro em muitas das nossas brincadeiras-desenhos... quando o temos entre mãos, fica difícil largá-lo, pode quase ser um livro-jogo. Com poucas palavras, as ilustrações... bom, são à Sara Fanelli...

    ResponderEliminar
  2. Parabéns! E bela escolha para "o primeiro dia do seu ano" :)

    ResponderEliminar
  3. Não posso deixar de dizer FELIZ ANO(i)VERSÁRIO!
    E mais uma vez muito obrigada por partilhar o seu fabuloso diário digital. É, sem dúvida, a melhor prateleira... e está sempre à mão.

    ResponderEliminar
  4. Já há muito que não lia um post tão bonito :-)

    ResponderEliminar
  5. Que alegria ter encontrado este blog em português!

    ResponderEliminar

Designed by DigitalBeautiful